Os Cinco Heróis
Celino Cunha Vieira (Português)
Jueves, 27 de Noviembre de 2014

Celino Cunha Vieira - Associação Portuguesa José Marti / Cubainformación.- Numa recente viagem que efectuei a Havana tive o privilégio de conhecer pessoalmente Fernando González e abraçar novamente René e sua Esposa, bem como Elizabeth Palmeiro, Esposa de Ramón, num breve encontro que tivemos na sede do Instituto Cubano de Amizade com os Povos, onde trocámos algumas impressões sobre o passado, o presente e o futuro, tendo em vista a libertação dos outros três Heróis que ainda se encontram presos nas cadeias dos EUA. 

Na ocasião, Fernando agradeceu todas as manifestações de solidariedade dos portugueses e das mais variadas entidades e organizações que se têm manifestado ao longo dos anos a favor da causa dos CINCO, em conjunto com o movimento internacional que constantemente apela a que se faça justiça a António, Gerardo e Ramón. 

Mas nós é que temos de agradecer a estes homens, às suas esposas, aos seus filhos e aos restantes familiares todos os sacrifícios a que têm sido sujeitos, revelando uma enorme coragem para suportarem, entre outras coisas, uma separação forçada e desumana, numa afronta aos mais elementares direitos humanos perpetrada por um país que se diz de liberdade. 

As suas fortes convicções por um mundo melhor e menos violento, o seu patriotismo e a sua dignidade, para além da nossa admiração, deveriam servir também de exemplo para todos nós, ajudando-nos a reflectir sobre qual o nosso contributo para uma sociedade menos egoísta e com outros valores mais elevados. 

A simplicidade e a simpatia de Fernando e de René, que muitos conheceram aquando da sua visita a Portugal, cativa-nos de tal modo que parece já os conhecermos desde sempre e que também fazem parte da nossa família, tal é o grau de intimidade com que fazem o favor de nos receber, partilhando connosco as suas inquietações pela saúde e bem-estar dos seus “irmãos” ainda encarcerados e à mercê das arbitrariedades de um poder que injustamente os mantém longe do seu país, pela simples razão de terem cometido o “crime” de combaterem o terrorismo. 

A condenação dos CINCO foi e é apenas de cariz político, servindo para uma cruel vingança contra uma nação que nunca se vergou nem vergará perante uma potência, seja ela qual for, porque preza e defende a sua independência conquistada à custa de muito sangue derramado e mantida com as mais ferozes provações e sacrifícios. 

O Presidente Obama conhece bem o caso dos CINCO e está nas suas mãos fazer justiça, justificando o Prémio Nobel da Paz que recebeu. 

Eu, que tive já a honra de conhecer pessoalmente dois Heróis, não vejo o dia em que irei conhecer os outros três, pois tenho a certeza que esse dia está para chegar em breve e que os irei abraçar, juntando-me à festa de todo um povo que os espera ansiosamente.

 

Lo último

01 de Octubre // 08:24
documentales-de-hernando-calvo-ospina-en-la-casa-de-la-solidaridad-en-estocolmo Comité Internacional Paz, Justicia y Dignidad a los Pueblos - Capítulo Suecia.- El viernes 27 de septiembre, la Asociación[...]
01 de Octubre // 08:10
bartolome-sancho-desmonto-tesis-sobre-crisis-humanitaria-en-venezuela-y-cuba Gerardo Moyá Noguera - Casa de Amistad Baleares-Cuba.- Bartolomé Sancho, periodista balear residente en La Habana y presidente de Honor de la[...]
01 de Octubre // 07:23
nueva-propuesta-literaria-cuba-frente-al-buen-vecino-entre-el-contrato-y-la-herejia Cubadebate.- “Cuba frente al buen vecino. Entre el contrato y la herejía”, libro del ingeniero y periodista Iroel Sánchez, será presentado el[...]
Revista
Lo + leido
Recomendamos